Meus melhores textos no Medium

Uma seleção meticulosamente construída, tipo um Best of

Rodrigo Goldacker
5 min readAug 11, 2021
Um desenho meu originalmente publicado aqui no Medium junto desse textinho aqui.

Quem?

Vamos tirar logo da frente aquele roteirinho básico: Rodrigo, 29 anos. Oi.

Há sete longos anos, trabalho como redator. Eu me graduei em Publicidade, pós-graduei em UX Writing e sou também mestre em Comunicação. Para além dessas formalidades bobas, o que realmente importa é que sou um fulano qualquer que escreve.

Caso deseje entrar em contato comigo, por qualquer motivo que seja, meu e-mail é ro_goldacker@yahoo.com.br e você também pode me mandar um oi pelo LinkedIn, Twitter, Facebook ou Instagram.

Por que essa lista existe?

Em oito anos neste singelo perfil, foram duzentas e tantas as vezes em que publiquei algo por aqui. Isso inclui poemas, contos, histórias em quadrinhos, ensaios, artigos, relatos e o que mais me deu na telha escrever.

Evidentemente, no meio disso tudo tem muita porcaria.

Por isso, resolvi seguir o tal conselho do “dê o seu melhor” criando uma curadoria daquilo que (acho que) presta entre tudo que já publiquei. Os textos aqui presentes são aqueles que eu realmente mais gostaria que fossem lidos, caso alguém se dê ao trabalho de tentar me ler.

Avisos iniciais

A lista completa com tudo que já publiquei segue disponível:

E um último detalhe: dentro das categorias, a ordem começa do mais importante entre os mais importantes até os um pouco menos importantes no finzinho. Então, se quiser saber por onde começar, os textos no topo de cada seção são sempre aqueles que mais recomendo.

DESTAQUES

Vou manter sempre dois ou três links aqui. Os destaques não são os “melhores dos melhores”. São só aqueles muito antigos ou muito recentes que acho que mereciam mais atenção.

MEUS 30 MELHORES TEXTOS

Aqui é inevitável: vou ter que dividir por assuntos.

Sobre escrita e criatividade

Sobre tecnologia, política, publicidade etc.

Sobre a vida, a morte, comportamento e reflexões existenciais (inclui crônicas e textos meio experimentais)

Sobre psicologia

Relatos e cartas

O QUE MAIS?

Especiais na Fazia Poesia

A Fazia Poesia, sempre muito querida, me convidou três vezes a fazer parte de seus projetos. Em dois dos casos, tratavam-se de coletâneas de poemas meus. A primeira seleção (“5 poemas netunianos”) tem uma introdução bem divertidinha e reúne alguns dos versos que publiquei na Fazia Poesia. A segunda (“a arte de rir de si mesmo”) é uma curadoria dos melhores “versos tolos” de um projeto que mantive durante 2017 e 2018. Se não ficasse redundante citá-los lá e aqui, todos os poemas presentes nesse segundo compilado estariam também lá em cima, na lista dos meus melhores poemas.

Por fim, também fui convidado a escrever um texto explicando um pouco melhor quem sou e qual é o meu processo com a poesia. Apesar de alguns detalhes desatualizados (mudei de casa , de emprego etc.), ainda acho que é a melhor síntese que tenho sobre minha escrita e sobre mim.

considerações para fechar

  1. Sobre ilustrações e agradecimentos às publicações
    Ao contrário da lista com todos os meus textos, nesta aqui não separei os links pelas publicações nas quais foram originalmente lançados, nem separei os ilustrados daqueles que não são. Então ficam as duas ressalvas: primeiro, eu também desenho às vezes e alguns dos textos desta coletânea foram ilustrados por mim; segundo, agradeço às publicações Fazia Poesia, Ensaios Sobre a Loucura, Revista Subjetiva, NEW ORDER e a falecida Crônicas Trendr por serem lares para muitos dos textos aqui citados.
  2. Sobre contribuições e mudanças nessa lista
    Esta é uma lista definitiva, mas mutável, que vou atualizar sempre que achar que algo mereça nela ingressar, ou dela sair. Se por acaso você discordar da ausência ou da presença de algo (sei lá, se faltou seu texto favorito dos que fiz, ou se incluí algum que odeia), conta pra mim. Talvez a lista mude um pouco graças às suas observações.
  3. Pedidos finais, um muitíssimo obrigado e um tchau
    Ficam os pedidos de sempre: se puder, interaja comigo (sou um escritor carente que gosta de comentários) e se possível ajude meus textos a alcançarem novos leitores, seja com compartilhamentos ou indicando qualquer um deles para alguém ler. Mas não importa se fez ou não qualquer uma dessas coisas, nem se leu só um, alguns ou todos os meus textos: em qualquer caso, deixo o meu muito obrigado por você ter usado alguma quantidade de seu finito tempo nesse mundo focando atenção nas minhas palavrinhas.
    É isso. Tchau!

--

--